Após ser apontado como investigado, Ricardo Barros diz que cúpula da CPI “não suporta ouvir a verdade”

O deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do Governo na Câmara, disse, nesta terça-feira (18), que a cúpula da CPI da Covid-19 “não suporta ouvir a verdade”.

A declaração de Barros foi dada após ele saber que o seu nome havia sido incluído em uma lista de investigados.

- CPI interrompe o meu depoimento, anuncia que sou investigado e que não pretende mais me ouvir. Não suportam a verdade e usam táticas covardes de vazamento. Minha conduta parlamentar é exemplar. Nada encontrarão. Agora, meus advogados conduzirão o relacionamento com a CPI - disparou nas redes sociais.

Renan Calheiros (MDB-AL), relator do colegiado, alegou que Barros está sendo investigado por suposta participação no caso Covaxin e outras negociações do governo.

- Pelo conjunto da obra, pela Covaxin, pela Belcher, pela participação do Roberto Dias na Davati, tornamos Barros investigado - justificou Calheiros, que tem 17 processos por corrupção e lavagem de dinheiro abertos no Supremo Tribunal Federal (STF).

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários