PGR não vê crime em Bolsonaro não utilizar máscara contra a Covid

A subprocuradora da República, Lindôra Araújo, isentou o presidente Jair Bolsonaro de supostos crimes contra a saúde pública.

A resposta de Lindôra veio após o Supremo Tribunal Federal (STF) pedir que a PGR se manifestasse quanto as denúncias feitas pelos partidos de oposição PT e Psol, que abriram processo na Justiça para que Bolsonaro fosse punido por suposto incentivo a aglomerações e a falta do uso de máscaras.

- Essa conduta não se reveste da gravidade própria de um crime, por não ser possível afirmar que, por si só, deixe realmente de impedir introdução ou propagação da Covid-19 - argumentou a subprocuradora.

Lindôra também justificou que nem a eficácia da máscara é comprovada para que Bolsonaro assuma a responsabilidade pelo “crime” de não usá-la.

- Não é possível realizar testes rigorosos, que comprovem a medida exata da eficácia da máscara - afirmou.

Anthony Fauci, virologista e atual conselheiro médico da Casa Branca, chegou a afirmar durante a pandemia da Covid-19 que o acessório, realmente, não impedia o contágio pelo vírus.

- A máscara típica que você compra na farmácia não é realmente eficaz para impedir a entrada de vírus, que é pequeno o suficiente para passar através do material -

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários