TSE quer acabar com perfis de direita no Brasil: “Política e economia não podem ser comercializadas”

Após ofensiva, nesta semana, contra vários perfis e canais de direita no Brasil, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o comando do ministro do STF, Luis Roberto Barroso, está formulando uma tal resolução que vai obrigar as plataformas de redes sociais a deixarem e encaminhar verbas para quem falar sobre conteúdo político durante as eleições.

Apesar de ser censura, o que é proibido por lei no Brasil, a resolução do TSE promete atacar, em especial, canais conservadores que o Tribunal supõe ser dedicados a notícias falsas e com caráter extremista. Mas, o que ´TSE quer mesmo é esvaziar as redações dos pequenos jornais impedindo que os perfis recebam pelo trabalho desenvolvido.

Para colocar o plano fatídico em ação, o TSE alega que a providência é necessária porque "política e ideologia não podem ser comercializadas".

O Tribunal planeja publicar as novas regras nos próximos meses e, caso passe a vigorar, Facebook, YouTube, Twitter, Instagram e Twitch deverão obedecê-las.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários