Caso Congresso não aprove parcelamento de precatórios, Guedes afirma que faltará dinheiro para pagar salários

O aviso foi feito nesta quinta-feira (19), em audiência pública da Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal. Na ocasião, o ministro da Economia, Paulo Guedes, reafirmou o que já vem dizendo há tempos: que é preciso parcelar os precatórios para que o Governo Federal tenha dinheiro em caixa e possa pagar em dia o salário dos servidores públicos.

O Ministro da Economia disse que pagar R$ 90 bilhões de precatórios (requisições de pagamento expedidas pelo Judiciário para cobrar de municípios, estados ou da União, assim como de autarquias e fundações, valores devidos após condenação judicial definitiva).é uma tarefa que não dá para executar.

- Se essa alternativa não passar, não tem problema. Vamos mandar o Orçamento com R$ 90 bilhões para precatórios e faltando dinheiro para tudo mais, inclusive salários nossos. Salário do Executivo, do Congresso, do Supremo e do Judiciário - avisou.

Paulo Guedes afirmou que os congressistas insistem em fazer o Governo Federal trabalhar acima da Lei de Responsabilidade Fiscal e do teto de gastos. Mas, a União está tentando aparar as pontas e conseguir um meio termo que se adeque melhor à nova realidade do Brasil e do mundo pós-pandemia da Covid-19.

- Para cumprir uma lei, você descumpra outra, a menos que haja uma solução. Para eu cumprir minhas funções constitucionais, eu preciso do parcelamento - lembrou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários