Médico de penitenciária afirma que Roberto Jefferson não pode ser tratado em prisão

Um médico da Secretaria de Administração Penitenciária assinou laudo, atestando que o ex-deputado federal e presidente do PTB, Roberto Jefferson, “não apresenta condições de saúde a ser acompanhado ou tratado pelo sistema de Saúde da Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro”.

Roberto Jefferson foi preso, na sexta-feira (13), a mando do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que o acusa de, supostamente, integrar uma milícia digital de ataque às instituições democráticas.

A defesa do ex-parlamentar já solicitou a conversão da prisão preventiva para domiciliar.

- O próprio sistema carcerário afirma não ter condição de cuida-lo. Complementamos a petição de sexta-feira - disse Luiz Gustavo Pereira da Cunha, advogado de Jefferson.

O médico sugeriu que o ex-deputado não permanecesse na penitenciária, “após análise criteriosa do histórico de saúde de forma pregressa e atual pelos laudos e exames” anexados ao processo.

Roberto Jefferson tem tem diabetes, hipotireoidismo, diverticulite, e sequelas do tratamento de câncer e de uma cirurgia bariátrica, além de problemas no intestino e no rim.

A Seap ainda não se manifestou sobre o caso.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários