Paulo Guedes diz que prefere “não ter reforma tributária a piorar o sistema”

Em audiência no Senado Federal, nesta sexta-feira (20), para explicar sobre os benefícios da Reforma Tributária para o país que, por sinal, ainda está sendo analisada pelo Congresso Nacional; o Ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que, caso o texto não seja aprovado como ele gostaria, ele prefere não propor mudança alguma que possa piorar o sistema econômico brasileiro.

– Não vamos fazer nenhuma insensatez. Quero deixar claro o seguinte: eu prefiro não ter reforma tributária do que piorar. Tem muita gente gritando que está piorando, mas é quem vai começar a pagar – disparou.
– Temos que ver mesmo se vai piorar ou não. Se chegarmos à conclusão de que vai piorar, eu prefiro não ter. Piorar, para mim, é aumentar imposto, tributar gente que não pode ser tributada, é fazer alguma coisa que prejudique Estado ou município, que eu acho que não está prejudicando – avaliou o Ministro que conseguiu elevar o PIB do Brasil após um ano pandêmico e diminuir o valor do dólar.

A Reforma Tributária estipulada pelo Governo Bolsonaro teve que ser “parcelada” em quatro fases. Mas, mesmo assim enfrenta resistência dos parlamentares. Eles já adiaram a votação do texto três vezes.

Guedes defendeu a tributação de lucros e dividendos pelas empresas a pessoas físicas e explicou que elas não estão saindo perdendo, como alguns acreditam.

– Para quem está aumentando (tributação)? Para lucros e dividendos. Se pagou na empresa, não pagou nada, pagou zero. Quem pagou foi a sua empresa. No Brasil, está cheio de gente rica e empresa pobre. O Brasil tem empresas extraordinárias, que sobreviveram a esse manicômio tributário – esclareceu.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários