Na Noruega, menino encontra anel de ouro de 1,5 mil anos

O garoto Sander ajudava o seu avô Tomas Vang a tentar encontrar a aliança que havia perdido no quintal de casa. Ambos, procuravam refazer os últimos passos do idoso na tentativa de localizar a peça com um detector de metais. Porém, no momento em que passava por um dos jardins que também havia visitado, o aparelho começou a bipar alto demais e eles iniciaram ali uma escavação.

Neto e avô ficaram muito contentes na possibilidade de ter encontrado tão facilmente o item. Mas, o que a dupla não esperava é ter localizado um anel de ouro, de 1,5 mil anos atrás. O caso foi parar na mídia e nas redes sociais, assim que Vang notificou arqueólogos do escritório municipal de patrimônio cultural do município de Trøndelag. A fabricação do anel é, provavelmente, do final da época romana ou época da migração massiva europeia.

A peça foi confeccionada com pequenas tiras de ouro retorcidas e que pode ter sido dada como moeda de pagamento. Segundo os cientistas, é uma raridade e foi encaminhada ao Museu de Ciências NTNU.

Após a euforia de ter feito a sua primeira descoberta arqueológica, Tomas respirou fundo e lamentou não ter tido a mesma sorte com sua aliança.

- Eu gostaria de ter encontrado o meu, mas estou feliz por termos encontrado este. Claro, este é um ótimo achado - finalizou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários